sexta-feira, 2 de outubro de 2009

Alô, Folha, cadê o erramos?

É se sempre bom dar uns toques sobre a situação da gripe suína para a Folha de S. Paulo, aquele portentoso jornal que previu a infecção de 35 milhões de brasileiros com a doença (veja aqui a capa com a manchete da FSP). Até agora, no mundo inteiro, foram menos de 400 mil casos. Uma diferença e tanto. Até agora, porém, a Folha não se dignou a dar uma mísera notinha na coluna Erramos. Vai ver a redação acha que a previsão vai se concretizar em breve.

Gripe A já matou 4.108 pessoas no mundo, diz OMS
Genebra, 2 out (EFE).- A gripe já infectou 343.298 pessoas no mundo todo e matou pelo menos 4.108, informou hoje a Organização Mundial da Saúde (OMS).

Os dados correspondem aos casos contabilizados até 27 de setembro. A agência das Nações Unidas destacou ainda que os números dizem respeito aos diagnósticos confirmados em laboratório, motivo pelo qual o total de casos pode ser maior.

A América, com 3.020 mortes confirmads e 137.147 contágios, continua sendo a região mais afetada pela doença.

Já no Pacífico Ocidental, foram contabilizadas 383 mortes e 96.197 casos.

No Sudeste Asiático, a gripe A matou 413 pessoas e contaminou outras 33.594.

Os dados mostram ainda que, na Europa, 176 pessoas morreram e outras 56.000 foram infectadas pela doença.

Na área do Mediterrâneo oriental, 12.008 pessoas ficaram doentes e 74 morreram depois de contaminadas pelo vírus AH1N1.

Por sua vez, a África registrou 42 mortes e 8.352 casos da doença.

Segundo a OMS, a situação começou a voltar ao normal nas áreas temperadas do Hemisfério Sul - Chile, Argentina, Austrália, Nova Zelândia.

Nas áreas tropicais da América, também foi identificada uma tendência de recuo em países como Brasil, Bolívia, Costa Rica, El Salvador, Panamá, Paraguai, Venezuela. Porém, o número de casos aumentou em nações como Cuba e Colômbia.

Na Ásia, há uma tendência de alta em países como Índia e Camboja, embora os casos estejam diminuindo, de modo geral.

Na América do Norte, a transmissão é ampla e se mantém mais elevada que a da gripe comum.

Na Europa e na Ásia Ocidental, a transmissão se mantém baixa, menos no Reino Unido, na Irlanda e na França.

3 comentários:

  1. A Folha montava mais uma plataforminha, com factóides para tentar, pela enésima vez, derrubar o Lula. Uma vez torcedores da dita dura, ora reescrita, dita branda, sempre manterão o espírito altivo e plugado em golpinhos.Essa folhinha !

    ResponderExcluir
  2. Erraram por pouquinho, né? [/ironia]

    ResponderExcluir
  3. Diametralmente oposta à sensação do Lula, que disse que não imaginava ainda viver emoções tão fortes, eu também não imaginava que a Folha pudesse se superar. E se superou. Na edição de hoje, além da seleção de cartas tendeciosas no painel do leitor, eu destacaria os artigos de Fernando Rodrigues (o tal do jornalismo político sério, que faz um malabarismo incrível para desancar o papel de Lula na escolha da sede de 2016) e Danuza Leão (o "é SÓ uma Olimpíada) e aquela m* que o tal de Helio, amigo conhecido deste blog, para fazer o inverso do erramos: o "acertamos", ao mostrar uma pesquisa Datafolha (!) para dizer que um quarto dos brasileiros tiveram sintomas da gripe suína, número até maior que aquele projetado por ele (mínimo de 35 milhões). Inacreditável, simplesmente inacreditável...

    ResponderExcluir

O Entrelinhas não censura comentaristas, mas não publica ofensas pessoais e comentários com uso de expressões chulas. Os comentários serão moderados, mas são sempre muito bem vindos.