quarta-feira, 7 de outubro de 2009

O que realmente mata a oposição

A reportagem abaixo, da Folha Online, revela o grande trunfo das candidaturas governistas na eleição presidencial de 2010 e também a principal dificuldade da oposição neste mesmo pleito. Ao que tudo indica e se nenhum novo cataclisma acontecer, o próximo ano será de forte crescimento econômico no Brasil. Já tem analista falando em uma taxa de 7%, o que seria espetacular. Mesmo uma taxa de 4% já seria absurdamente boa, tendo em vista o que está acontecendo nos países vizinhos, na Europa e nos Estados Unidos. Com a economia bombando, vai ser muito difícil para José Serra e seus miquinhos amestrados conseguirem articular um discurso de teor oposicionista contra a gestão Lula. No frigir dos ovos, o único discurso possível para Serra será, de novo, o neoudenismo que caracterizou a campanha de Alckmin em 2006. Ou a campanha amorfa que o levou ao Palácio dos Bandeirantes, embora qualquer estudante de ciência política saiba que não dá para comparar uma eleição presidencial com uma regional. Ou seja, só resta mesmo a Serra torcer para que outro terremoto atinja a economia norte-americana e arrase de verdade os fundamentos do crescimento brasileiro, que são hoje mais sólidos do que nunca. Eu que restou à oposição: torcer pelo “quanto pior, melhor”.

Investimento deve crescer com mais força em 2010, diz CNI

LORENNA RODRIGUES
da Folha Online, em Brasília

O gerente-executivo de Política Econômica da CNI (Confederação Nacional da Indústria) disse nesta quarta-feira que os níveis de investimento da indústria deverão voltar a crescer com mais força em 2010. Segundo ele, ainda há ociosidade no parque industrial brasileiro, o que deve fazer com que os investimentos sejam maiores apenas no próximo ano.

"Do ponto de vista da política econômica, evidentemente, o desejo é que [o investimento] apareça. Agora eles vão surgir setor a setor, dependendo das condições de cada um", afirmou.

No mês passado, o presidente do Banco Central, Henrique Meirelles, cobrou dos empresários que voltem a investir.

Segundo dados divulgados hoje pela CNI, a utilização da capacidade instalada em agosto ficou em 80,1%, contra 79,9% em julho. No ano passado, o parque industrial brasileiro utilizava 82,7% de sua capacidade em agosto.

Horas trabalhadas

Branco chamou a atenção para o fato de o número de horas trabalhadas ainda não ter alcançado a mesma recuperação apresentada pelos níveis de emprego. Em agosto, o número de horas trabalhadas caiu 0,2% em relação a julho e 9,9% em relação ao mesmo mês de 2008.

Já o emprego industrial cresceu 0,7%, continuando em queda (3,6%) na comparação anual.

"Os indicadores de horas trabalhadas não mostram ainda recuperação. É um dado que precisa ser mais bem avaliado, talvez seja reflexo do ajuste no mercado de trabalho por parte das empresas, que buscaram ser mais eficientes por conta da crise", completou.

5 comentários:

  1. é briga de gnt grande.rs
    meu interesse nisso tudo é que se invista mais. que o mercado se amplie cada vez mais, dando mais oportunidades para as pessoas.
    e finalmente, que o mercado publicitario lucre com tudo isso.

    ResponderExcluir
  2. Primeiro, imagino que por candidaturas governistas se fale, em ordem alfabética apenas, de Ciro e Dilma. Segundo, que a premissa do raciocínio seja o de que haverá uma eleição plebiscitária, do tipo Lula versus o anti-Lula. O que não consigo entender é o fundamento deste raciocínio, uma vez que nada garante que haverá duas candidaturas governistas, especialmente se a segunda proposição tiver possibilidade de se confirmar. E, quanto à eleição plebiscitária, também nã consigo entender no que se fundamenta, com alguma consistência, já que a única coisa que identifico é um indício de desejo do Presidente de que este plebiscito eleitoral aconteça, desejo que também parece ser o de parte da mídia. Meros desejos, entretanto. Considero haver uma probabilidade maior de que o povo pense e não se contente com uma mera disputa por melhor gerência de "tudo o que está aí"; talvez o povo ache importante encontrar quem melhor esteja preparado para encarar o desafio de um desenvolvimento sustentável, já que este parece ser o mais importante para a sobrevivência dos terráqueos e, parece, brasileiros fazem parte do planeta Terra...
    Marcos Peixoto Mello Gonçalves

    ResponderExcluir
  3. O "quanto pior, melhor" já acabou. Agora, só restam esquemas barra pesada para desmoralizar o governo, coisa de quadrilha, como CPI da petrobrás, fraude do Enem etc.

    ResponderExcluir
  4. O Serra, pra sua felicidade, está tonto que nem cego em tiroteio tentando encontrar "pelo em ovo" para conseguir criticar a atual política econômica do governo. Mas acho que no Brasil, tratando-se de eleições, o que conta é o marketing. Resumindo: na atual circunstância, com Lula querendo apoiar uma pessoa que nunca foi candidata a nada, com Serra desejando ardentemente ser presidente e com a Marina comendo pelas beiradas, quem tiver o melhor marketeiro, leva! Simples assim! Lula pode apoiar até um girafa que nada muda nesse sentido. Dilma tem uma taxa de rejeição absurda!

    ResponderExcluir
  5. Pedro P. Tardelli (jazz-petert)9 de outubro de 2009 16:10

    Lula apoiar uma girafa não conseguirá nada mesmo. Agora se apoiar a Dilma, quem viver verá. Taxa de rejeição absurda? Pesquisas feitas em casa ou com a turminha não valem! Vamos pro voto e veremos quem está com a razão. Se a Dilma é tão fraquinha assim, por que tanto medo dela por parte da oposição?

    ResponderExcluir

O Entrelinhas não censura comentaristas, mas não publica ofensas pessoais e comentários com uso de expressões chulas. Os comentários serão moderados, mas são sempre muito bem vindos.