terça-feira, 11 de novembro de 2008

Crise, que crise?

A notícia abaixo está no portal Terra e é a cara da elite brasileira. Faz lembrar um pouco Maria Antonieta – a versão moderna da rainha poderia ser algo assim: "a GM quebrou, não tem Corsa? Comprem Ferraris..."

Indústria Automobilística
Mesmo com crise, brasileiros compram mais Ferraris

Apesar da crise financeira que atinge o mundo e da recente alta do dólar frente ao real, os consumidores de alto poder aquisitivo continuaram, em outubro, a adquirir Ferraris no País. De acordo com dados da Associação Brasileira das Empresas Importadoras de Veículos Automotores (Abeiva), no mês passado foram emplacados seis carros da marca italiana no Brasil, contra cinco em setembro.

Em outubro, foram compradas cinco F430 e uma 599. No ano, a montadora já vendeu no País 31 automóveis, com uma participação de 0,12% do total de veículos vendidos por empresas associadas à Abeiva.

Outro carro que teve alta nas vendas foi a BMW Série 3, que passou de 118 comercializados em setembro para 130 em outubro. No ano, já são 999 automóveis do modelo comprados.

O campeão de vendas entre os associados da Abeiva é o PT Cruiser, da Chrysler, que no mês passado foi adquirido por 207 consumidores (contra 214 em setembro). No ano, já foram 1.264.

As 15 marcas filiadas à Abeiva fecharam o mês de outubro com vendas, no atacado, 26,29% inferior às de setembro. Foram contabilizadas 2.616 unidades, contra 3.549 veículos no período anterior. Os dados de emplacamento, no entanto, indicam queda de apenas 8,51%. Em outubro, os importadores oficiais emplacaram 3.236 unidades, contra 3.537 em setembro último.

Ainda no atacado, as vendas de outubro - em comparação a igual período de 2007 - permanecem com taxa de crescimento. As 2.616 unidades significaram aumento de 79,5% em relação aos 1.457 veículos de outubro do ano passado. Assim como no acumulado de 10 meses, de 27.596 unidades, o porcentual de crescimento é de 206,42%. No ano passado, de janeiro a dezembro, a totalização era de 9.006 unidades.

Segundo o presidente da Abeiva, Jörg Henning Dornbusch, a associação vai manter a previsão de fechamento de vendas em 2008 em 32 mil unidades. Para tanto, no último bimestre do ano, as 15 marcas terão de comercializar mais 5 mil unidades.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

O Entrelinhas não censura comentaristas, mas não publica ofensas pessoais e comentários com uso de expressões chulas. Os comentários serão moderados, mas são sempre muito bem vindos.