quarta-feira, 20 de janeiro de 2010

A queda de Kassab e a chance de Ciro

A notícia abaixo é péssimo sinal para a candidatura presidencial do governador José Serra (PSDB). O prefeito Kassab é do DEM, mas sua imagem está bastante associada a de Serra. É claro que as chuvas estão colaborando para o desgaste, mas a verdade é que Kassab não conseguiu, no segundo mandato, nada parecido com o primeiro, quando o programa Cidade Limpa encantou os paulistanos. De lá para cá, nada de realmente novo foi feito e há mesmo um certo ar de abandono na cidade - calçadas e canteiros sujos, mal cuidados, enfim, uma administração que parece ter acabado na vitória nas urnas no ano de 2008. Um personagem como Ciro Gomes pode, sim, ter espaço para crescer na terra que elegeu a paraibana Luiza Erundina após os anos de Jânio Quadros. É o pêndulo da política oscilando, ora para lá, ora para cá...

Avaliação da Prefeitura de SP cai de 46% para 28%

Pesquisa do Ibope revela que 26% consideram a administração ruim ou péssima; nota para a cidade é 4,8

De Gabriel Vituri e Renato Machado, da Agência Estado:

A aprovação da gestão de Kassab (DEM) foi fortemente abalada no último ano, segundo dados da pesquisa Ibope, encomendada pelo movimento Nossa São Paulo. A pesquisa foi realizada em dezembro de 2009 e os resultados foram divulgados na manhã desta terça-feira, 19.

Em relação à pesquisa anterior, de novembro de 2008, passou de 12% para 26% a quantidade de pessoas que avalia a administração municipal como ruim ou péssima. Dentre os que a consideram ótima ou boa, o percentual caiu de 46% para 28%.

Os números coincidem com a queda nos índices de outros indicadores de bem-estar na cidade. Por exemplo, aumentou de 6% para 28% a quantidade de pessoas que afirma temer alagamentos.

Também apresentaram altas o receio em relação ao trânsito (16% para 18%), atropelamentos (7% para 13%), assaltos ou roubos (57% para 65%) e torcidas de futebol (6% para 11%).

2 comentários:

  1. E a conta vai para...

    Em 2008, Gilberto Kassab reelegeu-se com fama de bom administrador. O rótulo foi muito propagado por neoconservadores de partidos “progressistas” como o PPS da subprefeita Soninha. A mentira tinha três utilidades: a) era argumento objetivo para justificar a proximidade com o DEM (PFL) de César Maia, ACM Neto, José Roberto Arruda e, digamos, Hildebrando Paschoal; b) neutralizava a única esperança de Marta Suplicy contornar sua rejeição pessoal e c) contrapunha os boatos sobre a suposta homossexualidade de Kassab com um discurso “do bem”, construtivo.
    Hoje os defensores daquele “novo destaque da polícia nacional” desapareceram, embriagados de antilulismo boboca. A imprensa esgoela-se para blindar José Serra, que dirige a única administração com recursos e estrutura suficientes para resolver os problemas das enchentes, e cujo partido teve quase vinte anos para fazê-lo.
    Como não se pode culpar indefinidamente as chuvas por tamanho desgoverno, alguém precisará assumir o papel de bode expiatório quando as desculpas meteorológicas parecerem idiotas demais. A imolação de Kassab ajudará também a configurar os arranjos eleitorais convenientes para os planos de Serra em 2010. Nada que ele já não soubesse na época em que o prefeito era um craque da administração pública.

    ResponderExcluir

O Entrelinhas não censura comentaristas, mas não publica ofensas pessoais e comentários com uso de expressões chulas. Os comentários serão moderados, mas são sempre muito bem vindos.